Rosas do Equador, as mais belas do mundo
50971
post-template-default,single,single-post,postid-50971,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Rosas com grife

Rosas do Equador

Rosas com grife

Caminhando entre os boxes dos mercados de flores da Holanda e Alemanha é cada vez mais freqüente ouvir compradores pedindo rosas com selo FLP(Flower Label Products). Gérberas, anêmonas e principalmente rosas originárias do Equador, são comercializadas com essa denominação que garante flores produzidas de maneira a proteger tanto o meio ambiente quanto seu entorno social, o que quer dizer: uso controlado de pesticidas, que os trabalhadores recebem salário digno, além de não empregar mão de obra infantil. Valores considerados prioritários para um consumidor conscientizado.

 

 

Visitas guiadas podem er agendadas na Estufa Ponte Tresa, em Cayambe
crédito; Viramundo e Mundovirado

 

 

 

O cultivo de rosas no Equador se iniciou há trinta anos quando produtores colombianos até então os únicos a oferecer rosas de qualidade e beleza singular, começaram a sofrer boicote dos Estados Unidos, seu maior importador, em represália ao aumento do tráfico de entorpecentes. Os produtores encontraram no país vizinho, Equador, as mesmas condições de fertilidade do solo vulcânico, irradiação solar, além da altitude de mais de 3.000 metros, onde instalaram a maioria das estufas. Esses fatores garantem uma rosa robusta, de aproximadamente nove centímetros de abertura e haste absolutamente reta, grossa e longa, atingindo 90 cm de altura, o que permite a flor se manter viçosa por até vinte dias no vaso (comprovei isso quando trouxe duas dúzias para São Paulo e elas duraram quase um mês).

 

 

Rosa da variedade Circus, uma das preferidas dos europeus
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

 

O Equador produz mais de duas dezenas de variedades de rosas, entre elas a Rafaela, com abertura de mais de dez centímetros; a Circus, cujos tons do pink ao vinho são salpicados de branco; a Avalanche, com pétalas brancas e crispadas; a Amélia, de cor azul celeste; uma lilás de perfume intenso e a mais inusitada; de cor preta.
O cônsul equatoriano em Brasília,na época, Juan Pablo Valdivieso, disse que seu país exporta há anos rosas para o Brasil. “Nossa dificuldade é que não temos vôos diretos Quito-São Paulo, o que retarda, encarece e prejudica a chegada das rosas ao mercado brasileiro.

 

 

crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Onde:
Visitas guiadas podem er agendadas na Estufa Ponte tresa, em Cayambe

 

 

 

 

 


Comentários

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."

Post a Comment