O Presente de Natal de Socorro
Basta uma pesquisa rápida para revelar que Socorro, a 140 km de Sâo Paulo, é todo um planeta de aventuras, de rica gastronomia, e de muitas histórias.
Socorro
55444
post-template-default,single,single-post,postid-55444,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

O Presente de Natal de Socorro

Natal em Socorro

O Presente de Natal de Socorro

Você acredita que se lançar do cocuruto de uma montanha, abandonar-se ao vento com os pés pendurados no vazio, e de lá de cima ficar no bem bom admirando as belezas desse mundão de Deus é privilégio só de passarinhos? Eu também supunha até conhecer Socorro, na Serra da Mantiqueira. Mas, você poderá me dizer que pra gente voar assim, lá no Sitio do Pica-pau Amarelo bastava um punhado de pirlimpimpim, ou ainda dos genéricos pós de Flu do Harry Potter, em Hogwarts, ou da Sininho, na Terra do Nunca. Sim, mas nem precisei ir tão longe, pois, a cidade fica bem perto de nós, e a única exigência de Socorro, assim como nos contos de bruxos ou fadas, é ‘ter pensamentos felizes”, senão o feitiço não acontece.

 

 

Tirolesa voadora

Tirolesa voadora, em Socorro
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

No Parque dos Sonhos, segundos antes de voar da plataforma fincada sobre a rocha, eu aguardava deitada numa espécie de sacola sem as laterais para deixar braços e pés livres. Patrícia, a instrutora, vai checando todo o equipamento de segurança, e pede que na hora de zarpar eu cruze os braços sobre o peito. Que exercício de superação, pensava vacilante enquanto via a imponente paineira de copa descabelada, e árvores de toda espécie que pareciam muito felizes agarradas à terra. Um estalado quebrou o silêncio e meus pensamentos. Era o cantar de um amarelo canário-da-terra que bem do meu lado, ligeiro mergulhou no ar. Ele me convidava a fazer o mesmo? Então, sem mais um piu, fui… eu sem mim!

 

 

Socorro, SP

crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Zummmm, ia deslizando sobre o vale e alguém lá em baixo deve me tomar por uma seriema por conta dos gritos. Quando abri os braços, escancarou–se o coração. No percurso de mais de um quilômetro, a vista vai se dilatando: os redondinhos pés de café plantados em fila viram contas de um rosário, caminhos de terra desenham serpentinas rosa, casinhas azuis e brancas sugerem miniaturas de coleção, e o gado gorducho tem um quê de pipocas esparramadas no tapete verde. Verde folha nova de alface, depois da chuva constante da noite anterior, e que sorvi aos goles para guardar pra sempre na memória.

 

 

Parque dos Sonhos

Parque dos Sonhos
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

E pensar que podemos ter a experiência mais próxima ao voo das aves, graças aos idealizadores do Parque dos Sonhos. A ideia era adaptar esportes como boia-cross, rapel e rafting, aos portadores de mobilidade reduzida. Para a ‘tirolesa do pânico’ criaram uma espécie de bolsa, e hoje todos usufruem dessa invenção. Esse parque foi a primeira empresa do Brasil a receber a certificação da norma internacional ABNT de sistema de gestão da segurança aplicável no turismo de aventura.

 

 

Cachoeira dos Sonhos

Cachoeira dos Sonhos
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

O abre alas do parque, divisa de Socorro com Bueno Brandão, é a Cachoeira dos Sonhos, e quem diria, tem até praia. Ao todo na região podem ser praticadas 26 atividades de aventura. Muitas delas, sendo a principal o rafting, acontecem nas águas do Rio do Peixe, nome que antes batizava a cidade. Fundada em agosto de 1829, mudou o nome para Socorro em homenagem à padroeira Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que fica no altar caprichosamente enfeitado da matriz.

 

 

Socorro, SP

crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Ao lado do templo e do coreto, foram sendo erguidos os palacetes dos barões do café que hoje abrigam lojas e museus. E, para substituir a mão de obra escrava chegaram, por volta de 1915, os imigrantes italianos. Por isso tantos sobrenomes, como Orlandi, dono do primeiro cinema de rua que ainda hoje funciona, Vergani, Zavanella, Fruchi, e Verzani, este proprietário da Sorveteria do Ademar, hoje terceira geração a produzir ali sorvetes de frutas da estação, como amora, jabuticaba e pitaia. Parada obrigatória e refrescante para quem carrega montes de sacolas, pois, as fábricas de malhas e as lojas são um dos bons motivos para visitar Socorro.

 

 

London Cafeteria

London Cafeteria
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Quer outros motivos ainda? Comer fruta no pé, tomar água de mina na concha das mãos, um queijo fresco. Tem coisa mais simples e melhor do que isso? Tem também: cachaça da boa, cervejas artesanais como a EcoBier, sequilhos, biscoitos de polvilho, mel puro, um waffle com recheio de nutella e morango, acompanhado de frapê na London Cafeteria, um café torrado na hora e o cheiro bom invadindo o ar da Doce Arte Café. Ali tomar essa bebida tão amada vira verdadeira experiência alquímica, e ainda o viajante tem a oportunidade de conhecer as variedades produzidas na terra.

 

 

Seriemas

Seriemas
crédito: Viramundo e MUndovirado

 

 

Para néctares inusitados vale conhecer o Sabores do Currupira que fica num recanto prazeroso e tranquilo do Horto Municipal. A cozinheira Irene é bamba nos bolos de beterraba com laranja ou gengibre, geleias de café ou de pétalas de rosas, ou ainda um doce de leite cremoso. Tudo fresquinho, recém-saído da horta do sítio Santa Cruz de propriedade da família que também recebe para um turismo rural.

Socorro ainda se destaca pela observação de aves com 196 espécies registradas entre elas, o pica-pau, gaturamo, canário-da-terra, martim-pescador, e seriema para citar apenas algumas.

 

 

Natal em Socorro

crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Mas, no mês de dezembro o motivo maior para visitar Socorro são as luzes de Natal, na Praça da Matriz que rivalizam com as dos lampiões antigos. Nenhuma árvore ali escapa da sanha das luzinhas. Quem não vira criança com aqueles milhares de pisca-piscas prateados ao som do coral interpretando canções natalinas? Você eu não sei, mas eu viro na horinha. Quem curtir um grupo de choro, uma orquestra de cordas, ou de violas caipiras, tem também. Consulte a programação de Natal da Prefeitura para saber dias e datas das apresentações musicais.

Socorro até podia ser uma cidade num mundo paralelo, ou de faz de conta, mas acredite, é real. E, o milagre, o presente de Socorro, é um reencontro com a terra, a liberdade, e com as coisas simples da vida.

 

 

Natal em Socorro

crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Onde ficar:

Seja qual for sua escolha: pousada, chalé, hotel fazenda ou mesmo hostel, tenha certeza que será bem acolhido. Nós ficamos na Pousada Pompéia que tem um café da manhã com variedade de frutas, pão de queijo, bolos fofinhos, e frios servidos no capricho diante do bem cuidado jardim. Outro diferencial é que os viajantes são recebidos pela proprietária sra. Magali.

Onde comer:

Lübeck bar e restaurante – Rua José Bonifácio, 135

Ristorante D’Napoli – Rua Capitão Joaquim de Souza Pinto 117

Pitauá- Estrada Socorro Lindoia, km 3

Doce Arte Café – Loja 29/30, dentro do Shopping Moda de Fábrica

London Cafeteria- Feira Permanente de Malhas

Uma boa dica é percorrer a cidade em seus pontos históricos, ou arredores, com o caminhão safari da Reis Turismo. Tel. 19-99898-9893

Considere num final de semana chegar mais cedo em Socorro para curtir o pôr do sol de cima do Mirante da Pedra da Bela Vista, pra já entrar no clima e de preferência no mês do Natal, quando o encanto é dobrado.

 

 

 

crédito: Samira

*Matéria publicada originalmente em nosso blog Viagens Plásticas do Viagem Estadão

 


Comentários

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."