NMNM, um inovador museu em Mônaco - Viramundo e Mundovirado
54897
post-template-default,single,single-post,postid-54897,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

NMNM, um inovador museu em Mônaco

Mônaco

NMNM, um inovador museu em Mônaco

Localizado diante do mar cobalto, o Novo Museu Nacional de Mônaco convida os viajantes para um mergulho camaleônico em espaço multiforme. Fruto de reflexão e questionamentos da equipe de curadores, o NMNM busca renovar a visão que o público tem de um museu, e como esse espaço deve ser vibrante e se encaixar no mundo atual.
 

Mônaco

Novo MUseu Nacional de Mônaco
crédito: NMNM

 

As exposições e mostras ocupam todas as salas e espaços de um palacete, a Villa Paloma, construída por volta de 1913 pelo milionário americano Edward Dickerson. Ele a apelidou de Vila-Coquete pelos detalhes de seus mosaicos, colunas e vitrais. Em 2008 foi adquirida pelo Estado de Mônaco para ser o NMNM.

Sempre com mostras que suscitam grande interesse do público, exposições curiosas como a instalação de velhos tênis utilizados como suportes para plantas, ateliers educativos para jovens, workshops, horticultura, e atividades em família. No Jardim Exotique fica a instalação permanente de Jean-Pascal Flavin, a “Casa Dobrável”, definida como algo entre arquitetura e escultura.
 

Mônaco

Sala Hercule Florence
crédito: Jean-Sebastien/Gino-Antomarchi

 

Também há uma sala dedicada ao inventor e desenhista Hercule Florence que é de muito interesse para os brasileiros. Aventureiro, aos 16 anos ele deixou Mônaco em um navio, e ao chegar no Rio de Janeiro, em 1824, fica sabendo que o cientista alemão von Langsdorff precisava de um desenhista para uma expedição à Amazônia. É contratado no ato. Devemos a Florence a documentação precisa dos índios, da nossa natureza, fauna e flora.
 

Mônaco

Sereia, de Volpi
crédito: Sergio Guerini

 

 

E agora, até 20 de maio mais uma surpresa que nos envaidece: uma exposição “A Poética da Cor”, com 70 quadros do pintor brasileiro Alfredo Volpi. Mais conhecido por suas bandeirinhas festivas e fachadas singelas das casas do bairro do Cambuci, onde viveu e começou a vida como pintor de paredes das casas nobres paulistas. Volpi hoje é reconhecido como uma das nossas maiores expressões do modernismo.
 

Volpi

Crédito: Acervo Volpi

 

Aproveite para conhecer Mônaco na primavera, uma estação privilegiada na Europa e apreciar os quadros de Volpi

Mais em:
Nouveau Musée National de Mônaco – NMNM – Villa Paloma 56, Boulevard du Jardin Exotique

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."