Em Mônaco, quem diria, chique é ser sustentável
Contra os clichês, Mônaco se reinventa como destino acessível para todos, e o Principado aposta na sustentabilidade
Mônaco
55228
post-template-default,single,single-post,postid-55228,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Em Mônaco, quem diria, chique é ser sustentável

Mônaco

Em Mônaco, quem diria, chique é ser sustentável

Quem disse que um estilo de vida ecologicamente correto deve ser austero e rígido? Mônaco não apenas parece ter nascido com o propósito de desmentir esse lugar comum, como a própria missão do príncipe Albert II é a de difundir e abranger a cultura verde em todas as áreas do charmoso principado.

O desafio de atitudes responsáveis em relação ao ambiente é enorme e não apenas para educar ou mudar as próprias ações dos moradores, como também a de envolver seus hotéis, restaurantes e spas nessa filosofia positiva.

 

Mônaco

Jardim das Rosas da Princesa Grace de Mônaco
crédito: visit monaco

 

 

O príncipe Albert II se orgulha em afirmar que Mônaco é um dos mais atentos países da Europa em relação ao ambiente. Ele sensibiliza a população alertando sobre o impacto da atividade humana na paisagem, e sempre reforça a importância de preservar as áreas verdes das montanhas que envolvem a cidade e dos bosques nos arredores. Incentiva a compra de carros movidos a energia limpa, e deixou as tarifas dos transportes coletivos mais acessíveis para que os carros fiquem nas garagens.

 

Radical, sugere ainda que a população ande mais de bicicletas, scooters e até de patins! Isso sim, no pensamento do príncipe, é um belo modelo de green life. Para ele esses aspectos valorizam ainda mais a já excelente e renomada qualidade de vida dos monegascos.

 

Mônaco

Barco movido a energia elétrica e painéis solares que atravessa o Port Hercule
Crédito youtube

 

Mas, há ainda mais ações de cunho sustentável como os ônibus noturnos nos finais de semana, um barco elétrico que atravessa o Port Hercule, um trenzinho e um ônibus turístico que circulam pelos mais importantes atrativos do principado. E, Mônaco também monitora constantemente a qualidade do ar e de suas águas.
Quanto a alimentação, os orgânicos cada dia mais marcam presença nas casas, mercados, hotéis e restaurantes. Entre eles, o Elsa que fica dentro do Hotel Monte-Carlo é o primeiro restaurante 100% orgânico a ser comtemplado com uma estrela Michelin.

 

Mônaco

Hortas orgânicas em Port Hercule
Crédito: la muse blue

 

 

 

Mas, e o que dizer dos hotéis? Hotelaria não rima com ecologia. Pode não coincidir perfeitamente na sonoridade das palavras, mas em Mônaco os hotéis se debruçaram no espírito verde. Como? Com uma variedade de novas e antigas ações, algumas bem simples como menos desperdício de água e energia, diminuir a utilização de sacos plásticos, priorizar produtos de limpeza biodegradáveis, utilizar lâmpadas de baixo consumo, separar e reciclar lixo, manter um centro de compostagem, além de horta orgânica.

 

Os hotéis Metrópole Monte-Carlo, Monte-Carlo Bay e Monte-Carlo Beach também desejam provocar reflexões e encorajar seus hóspedes a intensificarem o respeito ao ambiente. Um exemplo? Pequenos lembretes do tipo ‘que tal manter o quarto com ventilação natural e sentir a brisa do oceano’? Também convida os hóspedes a conhecerem a vistosa horta de onde saem as folhas frescas e ervas que acompanham as refeições. Por essas e outras ações os hotéis ganharam o GreenKey, o Global e Planet 21, renomadas premiações de cunho sustentável.

 

O hotel Metrópole Monte-Carlo ainda disponibiliza aos hóspedes o programa Act Green para incentivá-los a reduzir o impacto ambiental durante a estadia, e recomenda o informativo Green Chic Traveller com opções ecologicamente corretas para um viajante.

 

 

Mônaco

Jardim do Porto Fontvieille
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Proprietária de importantes estabelecimentos monegascos, como o Cassino de Monte-Carlo e o Hôtel de Paris, a Monte-Carlo Société des Bains de Mer definiu cartas ambientais para reduzir o consumo de água e de energia, diminuir emissão de CO2, proteger a biodiversidade, fazer compras de empresas responsáveis, construir e renovar suas edificações de forma responsável, e utilizar produtos orgânicos em todos seus empreendimentos de Mônaco.
Todas essas ações funcionam como lembretes que ajudam a criar novos códigos de eco-comportamento.
Afinal viajar não é também uma oportunidade de adquirirmos ferramentas para a compreensão dos problemas ambientais?
Em Mônaco ser green é glam!

 

Mônaco

crédito: Felipe Mortara

 


Comentários

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."