Cinco motivos para curtir Monte Verde no outono
Se o nome Monte Verde ainda ressoa entre aqueles que cultuam o inverno, damos cinco motivos para se deixar embalar também no outono
Monte Verde
54873
post-template-default,single,single-post,postid-54873,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Cinco motivos para curtir Monte Verde no outono

Monte Verde

Cinco motivos para curtir Monte Verde no outono

Corria o ano de 1969. Foi minha primeira viagem para Monte Verde, Minas Gerais. Fui passar o dia, cheguei bem cedo. A estrada de terra percorria túneis entre pinheirais e já me preparava para entrar numa natureza privilegiada. Agora, vim passar um fim de semana. A cidade só difere do passado no asfalto, nas ruas calçadas de comércio vibrante, e nos carros. Mas a natureza está igual, as araucárias e pinheiros, o aroma da mata ao amanhecer, e a arquitetura das casas.

 

Monte Verde

Uma das muitas trilhas na Fazenda Itapuá
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Talvez por ser ariano, o outono é minha estação preferida, e em Monte Verde é quando as cores de algumas árvores da Serra da Mantiqueira começam a mudar para tons amarelos e vermelhos. E, nas noites de céu luminoso se vê lá longe as silhuetas escuras dos picos, do Selado, do Chapéu do Bispo ou da Pedra Redonda, rochedos que podem atingir mais de 2.000 m de altura. E, mais: nessa época o frio também está presente. Ele é anunciado quando as névoas surgem e correm rápidas. Aí as temperaturas à noite já começam a ser radicais marcando 6ºC, mas durante o dia alcançam até 27ºC. Fala verdade, tenho ou não tenho razão para dizer que essa é uma estação perfeita? O dia para aproveitar em passeios, trekkings, cavalgar, biking, e até compras, já ao entardecer uma cervejada entre amigos, e depois do jantar, curtir a lareira com sua amada.

Monte Verde

Chocolate Montanhês, um espaço gourmet para o cacau
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Não vou esconder as boas surpresas e descobertas desses três dias que lá passei, percorri estradinhas e trilhas, entrei ali e acolá xeretando lojas, troquei de pousadas (sou curioso e gosto de alternativas), almocei e jantei em diferentes restaurantes. Tomei sorvete e me aqueci em lojas de vinho, e de cerveja.
As boas surpresas começaram na ‘Montanhês’. Resista se puder às propriedades viciantes do chocolate. Ali um espaço inteiramente dedicado ao cacau. Comece com o brownie montanhês, depois um petit gateau, peça também um chococreme, todos eles vêm acompanhados do carinho da doce proprietária Mônica.

Monte Verde

Mais de 200 rótulos de vinhos de 14 países. Na dúvida o sommelier Elcio, da Mistral Verde, vai te dar a dica certa
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Ainda nos lugares gourmets, Monte Verde é bem servida, literalmente, por duas lojas de fino trato, uma de vinho, a ‘Mistral Verde’, e outra que tem especialidade na cerveja, a ‘Arsenal da Cerveja’. Ambas oferecem degustação com mais de 200 rótulos de diversos países. Todas têm sommelier à disposição para a escolha perfeita. Na adega, o Elcio, me brindou com uma degustação de três vinhos, o Alma Negra, da Argentina, um branco da Nova Zelândia e o Frei João, rosé de Portugal, acompanhados de queijos cremosos de gorgonzola e de cabra.

Monte Verde

Em Monte Verde todos e todas partem para uma aventura gelada
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Na cerveja, parti para uma aventura gelada. Não fiz cerimônia e mandei ver uma leva de boas indicações do beer sommelier Rafael, entre elas a Dama Pilsen, considerada uma das melhores do mundo, a Weihenstephaner, de trigo, que só na terceira dose consegui acertar o nome, e encerrei com a Floris Kriek, cerveja belga com concentrado de cereja.

Monte Verde

Shopping Celeiro
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Nas minhas andanças, encontrei a loja certa para comprar vinhos importados, entre eles os portugueses (meus preferidos), além de azeite, cerveja, pães alemães, salmão e trutas defumadas – a ‘Manfred’s’. Localizada no Shopping Verner Grinberg, o casal Adriana e Manfred, ela de Triste, ele de Frankfurt, formam a dobradinha perfeita para o bem servir.
Não muito longe do Manfred’s, outro shopping, o ‘Celeiro’, com dezenas de lojinhas é lugar perfeito para garimpar um pouco de tudo: agasalhos de inverno, ou não, botas,  queijos, doces e embutidos mineiros, toucas de lã para seu pet na ‘Guille Pet’, conhecer o homem do tempo, sr. Nelson Pacheco, da loja ‘Kukos’ que há 20 anos vem contabilizando as temperaturas da vila. Em 1999 ele registrou a mais baixa do Brasil, -16º C, durante uma geada negra. Em Monte Verde, cada parada é uma surpresa.

Monte Verde

Cantina Portale di Napoli
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Chegou a hora de indicar alguns dos bons restaurantes de Monte Verde. Siga meus passos. Filé à Parmegiana ou Leitão à Pururuca? Sem pestanejar vá direto para o ‘Restaurante e Boteco Villa Amarela’. Para massas frescas ou para um especial Polpetone, não pense duas vezes, o endereço é a ‘Cantina Portale di Napoli’. Agora, um lugar certeiro para comida caseira, cujo carro-chefe é o Tutu de Feijão é o ‘Comes e Bebes Drika’. Chegue cedo, porque a casa costuma ficar lotada nos fins de semana.

Monte Verde

Restaurante da Pousada Fazenda Itapuá
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Dois outros points merecem um lugar à mesa: o restaurante da ‘Fazenda Hotel Itapuá’, na qual o Filé Mignon Mil Folhas faz as honras da casa. À noite, a boa opção fica por conta do ‘Café Bistrô, onde o gnocchi recheado com queijo foi paparicado ao som de uma banda de rock ao vivo.

Monte Verde

Pousada Boa Montanha
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

No segmento de hotéis, as indicações começam com uma pousada (muito) particular, pois ela só tem um chalé, espaçoso, ideal para uma família com crianças – ‘Chácara Adélia’. Espaço pedagógico para a criançada com várias atividades lúdicas, deixando assim os pais livres para passeios e compras.
Na ‘Pousada Boa Montanha’, uma das queridinhas de Monte Verde, fiquei num chalé confortável, curtindo a lareira durante a noite. No dia seguinte como o tempo não esquentou para um mergulho na piscina, com bela vista do Pico do Selado, fui curtir o bom e rico café da manhã.
Acertei também na escolha da “Pousada A Casinha Pequenina’, um dos lugares mais em conta em Monte Verde. Uma delícia para quem não tem frescura, e onde a arte de receber é uma questão de princípio para o casal Paula e Marcelo.

Monte Verde

Avenida Monte Verde
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

As montanhas transmitem paz e silêncio. As ruas se abrem em estradinhas para um imaginário mágico. O frio obedece ao comando do sol, as nuvens se transformam em cachoeiras que desabam dos picos mais altos e chalés prometem sonhos. Assim é Monte Verde.
Ah! O título da matéria saiu errado, não são cinco os motivos para escolher Monte Verde no outono, são cinquenta.

Monte Verde

Outono
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Mais informações: [email protected] ou 35-99211-6694 com Andréa

Cantina Portale di Napoli: [email protected]
Fazenda Hotel Itapuá: www.itapuamonteverde.com.br
Restaurante e Boteco Villa Amarela: 35-3438-2460
Kukos: [email protected]
Guille Pet: [email protected]
Arsenal da Cerveja: [email protected]
Chocolate Montanhês: www.chocolatemontanhes.com
Comes & Bebes Drika: 35-98804-0084
Mistral Verde: www.mistralverde.com.br
Chácara Adélia: 35-3438-2491
Pousada ‘A Casinha Pequenina’: www.acasinhapequenina.com.br
Pousada Boa Montanha: www.boamontanha.com.br
Café Bistrô: 35-3438-1809

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."