Bou Tarineria, bem-vindos chez Natália
A tartine, explica o Larousse, é uma fatia de pão recoberta de manteiga, geleia de frutas ou outra substância alimentar fácil de espalhar. Mas a da Bou Tartineria ...
Bou Tartineria
55113
post-template-default,single,single-post,postid-55113,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Bou Tartineria, bem-vindos chez Natália

Bou Tartineria

Bou Tartineria, bem-vindos chez Natália

Você já viu alguma coisa mais trivial do que cortar pão? E, a segunda mais corriqueira não seria passar manteiga nele? Tão banais que até passam despercebidas, certo? Pois então te convido para ver Natália fazer essas duas coisas. Com a desculpa de tirar fotos da cozinha da Bou Tartineria, fiquei observando como é bonito ver a delicadeza e a precisão de seus gestos ao montar uma tartine.

 

 

Bou Tartineria

Tartine com ovo perfeito
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

A tartine, explica o Larousse, é uma fatia de pão recoberta de manteiga, geleia de frutas ou outra substância alimentar fácil de espalhar. Seria uma espécie de sanduiche aberto? Quase, mas o que faz toda diferença no caso das tartines da Bou, são os bons ingredientes e obedecer a sazonalidade dos produtos – valorizações que Natália observou na culinária francesa do dia a dia quando cursava gastronomia.

 

 

Bou Tartineria

Natália Bourgogne na cozinha da Bou Tartineria
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Natália Vilas Boas Bourgogne (já deu para sacar de onde veio o nome do bistrô e ao mesmo tempo a homenagem aos antepassados), é chef de cuisine, que escrevo assim mesmo em francês não por frescura, mas porque ela se formou no renomado Instituto Paul Bocuse, em Lyon, tida capital gastronômica da França. Em Lyon, Natália estagiou no Mon Bistrot a Moi, e em Girona, cidade próxima a Barcelona, trabalhou no El Celler de Can Roca, tido um dos três primeiros restaurantes do mundo em cozinha molecular. De volta ao Brasil foi umas das chefs de praça fria do Maní.

 

 

Bou Tartineria

Um dos espaços da Bou Tartineria
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Um belo dia decidiu abrir seu próprio restaurante. Um espaço que a representasse, que fosse ao mesmo tempo contemporâneo e campestre, refinado e simples, brasileiro e francês.

O maior acerto da cozinha de Natália está na criatividade de mesclar ingredientes regionais brasileiros como nossas castanhas de baru, caju, ou do Pará, pimentas da Amazônia, queijo coalho e cupuaçu com receitas tradicionais francesas. Outro fator são os pães artesanais feitos com metade farinha orgânica italiana e a outra metade brasileira, produzidos por uma amiga.

 

 

brownie de chocolate com cupuaçu crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Para antecipar o gostinho, ouça só alguns dos pratos que indico: tartare vegano com pasta de grão de bico e cogumelos, cordeiro com especiarias, ovo perfeito com creme de inhame, queijo meia cura e farofa de pães. Se curtir sabores intensos, prove o polvo à vinagrete ou ostras frescas, e aos sábados você irá encontrar moules et frites. De sobremesa que tal um brownie com recheio de cupuaçu, ou uma tartine de ‘nutella’ caseira, a base de castanhas brasileiras no pão brioche entre outras gostosuras? Para acompanhar há boas cervejas artesanais, sucos, vinho ou drinques especiais.

 

Tartine de salmão com vinho branco crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

 

Tudo na Tartineria Bou é feito em família, a irmã gêmea capricha na identidade visual do restaurante, a mãe cuida do jardim e da horta, já o pai fez a maior parte dos móveis em madeira. Tá vendo porque lá no alto eu disse chez, preposição que em francês define – em casa de? Reforçam essa ideia os dizeres escritos na porta de vidro que separa as mesas do jardim: Bem-vindo, enfim você chegou! Entre e sinta-se em casa.
E, qual é a melhor hora para saborear uma tartine? Qualquer hora, do café ao jantar. Para mim que fui no meio da tarde me lembrou o campestre costume brasileiro de merendar.
Quer algo mais simples e gostoso? Só se for na casa de uma amiga e que dá gosto ver seus gestos bonitos enquanto cozinha para nós.

 

Bou tartineria

Numa rua tranquila de Indianópolis, com árvores quase tão altas quanto os edifícios, almoce no jardim entre vasos e trepadeiras
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Bou Tartineria

A sensação de comer no quintal, um oásis de frescor entre os espigões paulistanos
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

 

Saborear e ter sensações que levam os clientes direto à França
crédito: Viramundo e Mundovirado

 

Onde: Av. Jacutinga n.96, Indianópolis, São Paulo

Para saber mais: www.boutartineria.com.br

 

 

 


Comentários

Heitor e Silvia Reali
"Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado."